Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro

23 de novembro de 2019 19:30 - 21:30

Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro revela a melhor fase do instrumento de fole no Brasil

O novo álbum da Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro revela a melhor fase do instrumento de fole no Brasil. Em quatro anos de existência, a Sanfônica conquistou o coração dos cariocas, em dezenas de apresentações, em teatros e praças, demonstrando o poder de encantamento das sanfonas e das tradições populares. O álbum será lançado no Teatro Rival, dia 23 de novembro, sábado, 19h30.

“Neste CD está o registro cuidadoso daquilo que fazemos de melhor”, sintetiza o maestro Marcelo Caldi, que ousou apostar no repertório autoral, em 15 faixas inéditas, marcadas pela diversidade rítmica, por melodias singelas, dentro de uma atmosfera musical única, evocando a festa, a celebração, a dança, o encontro alegre com as pessoas. São baiões, xotes, maxixes, choros, valsas, quadrilhas… revisitados dentro de uma linguagem singela, em que se destaca a sonoridade coletiva.

Entre os parceiros de Caldi no disco, estão os músicos da orquestra, como Yeda Maranhão, Roberto Kauffmann, Rodrigo Bis e Alberto Magalhães. Há ainda peças em parceria com Silvério Pontes e Chico Salles.

Inédita no Rio de Janeiro, a orquestra de sanfonas é formada por 15 sanfoneiros, além de três cantores, dois percussionistas, um baixista e um rabequeiro, totalizando 22 músicos. Muitos dos “sanfônicos” pisaram pela primeira vez no palco de um teatro após a entrada na Orquestra, onde também tiveram contato com o instrumento pela primeira vez. A proposta arte-educativa, desenvolvida por Marcelo Caldi, reúne os artistas em aula semanalmente desde 2015.

Não só pela diversidade rítmica, a Orquestra Sanfônica também é marcada pela diversidade cultural em sua formação. São músicos de várias gerações e origens, reunindo gente do Maranhão, do Rio Grande do Sul, da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Ceará, além do Rio de Janeiro…

Neste ano, a Sanfônica fez uma série especial em homenagem ao centenário de Jackson do Pandeiro. Outras homenagens já foram feitas para Luiz Gonzaga e Pixinguinha.

O grupo foi destaque no Festival de Chorinho e Sanfona de Rosal, no Forró in Rio Aterro do Flamengo (ambos em 2018), do Festival de Forró de Raiz de Mangaratiba e da Semana do Nordestino em Niterói (ambos em 2019). Também realizou Circuito SESC na Serra do Rio de Janeiro, Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo (dezembro de 2018). Também foi destaque na programação do SESC Ipiranga, São Paulo, em 2019. A Orquestra Sanfônica se apresentou em várias praças, como Largo do Machado, Largo das Neves, Praça dos Cavalinhos e Praça São Judas Tadeu (Rio de Janeiro).

Sobre Marcelo Caldi
Marcelo Caldi é um dos maiores sanfoneiros da atualidade. Sua obra tornou-se referência obrigatória aos estudantes e admiradores do instrumento de fole no Brasil e em várias partes do mundo. Caldi vem desenvolvendo um método próprio de aprendizagem da sanfona, baseado no trabalho coletivo. Lançou vários álbuns autorais, tem músicas em parceria com grandes nomes da música instrumental como Hamilton de Holanda, Maurício Carrilho, Silvério Pontes, e vários outros. Como arranjador sinfônico, compôs para as orquestras mais importantes do país, como Orquestra Petrobras Sinfônica e Orquestra Sinfônica da Bahia. Foi solista da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica do Recife, Orquestra Sinfônica Cesgranrio, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, e outras. Também compôs uma peça sinfônica, “Alma Carioca”, executada pela Orquestra Petrobras Sinfônica.


Serviço

Teatro Rival – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. Informações: (21) 2240-9796. Data: 23 de novembro (Sábado). Horário: 19h30. Abertura da casa: 18h. Ingressos: R$ 70,00 (Inteira),R$ 35,00 (meia-entrada). Venda antecipada pela Eventim – http://bit.ly/TeatroRival_Ingressos2GIaEKp. Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 21h Censura: 18 anos. www.teatrorival.com.br. Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: Estudantes, Idosos, Professores da Rede Pública e Assinantes O Globo